Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
  Notícias sobre Saúde  
     
     
  Adolescentes conseguem devorar até 2.000 calorias em uma refeição  
     
 

Uma pesquisa realizada entre crianças com idades entre 8 e 17 anos descobriu que meninos comem mais no dia a dia do que meninas. O estudo também analisou em quais idades a fome é maior em cada gênero.

O apetite de garotos na adolescência é o mais voraz. Eles consomem cerca de 2.000 calorias apenas no almoço.

Segundo o professor Jack A. Yanovski, do Instituto Nacional de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano dos Estados Unidos, a conclusão faz sentido, visto que os meninos crescem mais no fim da puberdade.

"Há muita sabedoria popular que diz que os meninos podem comer quantidades prodigiosas, mas não tínhamos muitos dados", disse Yanovski.

Para preencher a lacuna, ele e seus colegas levaram 204 garotos e garotas a um almoço estilo buffet em dois dias separados. Em um dia, as crianças foram instruídas a comer normalmente, como fazem durante a refeição. No outro dia, eles foram instruídos a comer o quanto quisessem.

Em geral, os meninos comeram mais do que as meninas em todas as fase da puberdade.

Meninos de 8 a 10 anos comeram em média quase 1.300 calorias na hora do almoço, contra 900 calorias entre as meninas da mesma faixa etária.

As meninas apresentaram maior aumento no apetite entre os 10 e os 13 anos. Elas consumiram quase 1.300 calorias, e esse valor foi ligeiramente maior apenas entre as meninas que estavam na puberdade tardia.

Para o professor Yanovski, esse padrão está de acordo com o desenvolvimento das meninas, pois elas tendem a ter crescer mais no início da puberdade.

Os meninos, por outro lado, tendem a se desenvolver mais tarde e suas necessidades de calorias parecem aumentar de forma significativa entre 14 e 17 anos.

Enquanto os meninos mostraram pouca mudança no apetite durante a pré-puberdade, a ingestão calórica média do almoço chegou a quase 2.000 calorias na puberdade tardia.

Até para crianças ativas, essa quantidade seria suficiente para suprir a maior parte das necessidades diárias de energia. "Eles realmente podem comer", observou Yanovski.

Os resultados mostram aos pais quais são as necessidade de alimentação dos filhos ao longo de cada fase, de acordo com o professor. Enquanto os adolescentes forem saudáveis e com peso normal, o aumento repentino do apetite não deve ser alarmante.

Por outro lado, os meninos que estão acima do peso deveriam ter limites na alimentação, pois a maioria das crianças com sobrepeso se tornam adultos obesos, sugerem estudos.

 
     
 

DA REUTERS

 
     
  Ler mais Notícias sobre Saúde