Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
  Artigos Escritos  
     
     
 

A importância da musculação na saúde e na reabilitação física

 
     
     
 

Até o final da década de 70, o treinamento com pesos era executado por apenas uma pequena parcela da população, principalmente atletas levantadores de pesos olímpicos e fisiculturistas. Os praticantes deste treinamento eram vítimas de preconceitos, tanto pela sociedade em geral, quanto por profissionais de saúde, já que se acreditava que este tipo de treinamento poderia lesionar os ossos e causar encurtamento dos músculos.

Durante muitos anos, os exercícios mais estudados eram predominantemente os aeróbios, resultando na idéia de que apenas estes (corrida, ciclismo, natação, caminhada, etc...) traziam benefícios à saúde. Somente no final da década de 80, o Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM), ao rever seu posicionamento anterior, incluiu o treinamento com pesos como parte de um programa completo de exercícios e desenvolveu diretrizes para sua prescrição. Neste período, as salas de musculação das academias absorveram adeptos de ambos os sexos, e no início dos anos 90 passaram a ser frequentadas também por praticantes de todas as faixas etárias.

Ainda que o reconhecimento dos benefícios do treinamento com pesos exista há muito tempo, só recentemente, com a publicação de numerosos trabalhos científicos, ficou evidenciado também sua importância na promoção da saúde, na prevenção de doenças, na reabilitação de lesões ortopédicas e incapacidades. Atualmente, sua prática é recomendada pela maioria das organizações de saúde que estudam a ciência do exercício, por médicos e demais profissionais da área de saúde, resultando na atividade de academia que mais cresce em número de praticantes em todo mundo.

Apesar de a maioria dos indivíduos que procuram por este tipo de treinamento terem objetivos estéticos, ou então, a melhoria no desempenho atlético, é cada vez mais comum para o profissional que trabalha com este treinamento, a prescrição de programas de exercícios específicos para a reabilitação de uma variedade de lesões e doenças crônicas. Caberá a este profissional a responsabilidade de elaborar treinamentos específicos, que atendam aos propósitos pretendidos, de acordo com as características físicas individuais e as restrições médicas, devendo estar atualizado e fundamentado cientificamente.

Os efeitos mais conhecidos do treinamento com pesos são o aumento da força e da resistência muscular, e seus benefícios para a saúde são: o desenvolvimento e a manutenção da massa muscular e da densidade mineral óssea, melhorias mesmo que modestas na aptidão cardiorrespiratória, redução da gordura corporal, tendência à diminuição da pressão arterial nos hipertensos, redução do risco de lombalgias, diminuição da dor da artrite, melhoria na utilização da glicose, melhora do perfil lipídico, redução no risco de lesões ortopédicas, melhoria na condição funcional em idosos, entre outros.

Pode-se afirmar, portanto, que devido às evidências já disponíveis de eficiência e segurança do treinamento com pesos, essa antiga forma de exercício físico ainda coloca-se em destaque na promoção da saúde, na prevenção e na reabilitação física em todas as idades, melhorando significativamente a qualidade de vida de seus praticantes.

 
   
  Daniel Simon Neto
   
   
  Ler mais Artigos Escritos